sexta-feira, 23 de outubro de 2015

O amanhã das indecisões

    Amanhã é o dia. O dia em que eu vou acordar e sonhar de novo, tentar realizar meus desejos de novo, tentar colocar em prática tudo aquilo que eu imaginei por esse curto tempo de 20 anos de idade. Mas o amanhã vai chegar? Como uma águia que quebra a fronteira de vários países, sem destino final, é que, pensando no meu amanhã. Eu perco muito tempo pensando no amanhã, perco muito tempo pensando no que vai ser de mim, choro ao ver que estou fracassando, dou risada quando vejo que estou indo bem. O difícil é sorrir.

     Eu queria poder escolher o que fazer de minha vida, mas vários fatores me limitam de fazer divertas coisas que desejo. Sou louco. Queria ser mais. Sou pouco louco. As vezes sou extremamente louco. Não me entendo mito bem. Pra que entender? Foda-se.

     Não sei o que me da forças para seguir, como seguir...o que fazer... Sabe um prédio de 40 andares quando é demolido? Ele se destrói como uma caixinha de vidro. É eu, quando vejo que estou me distanciando de meus sonhos tão mal sonhados... Mal sonhados? basicamente isso.

     Uma guerra vem aí, uma guerra contra eu mesmo. Sou fraco, nunca consigo ser forte. Mas sempre consigo ser persistente. Isso é o que vale.

Nenhum comentário:

Postar um comentário